sexta-feira, 17 de maio de 2019

Resenha: Trono de Vidro - Herdeira do Fogo | Sarah J. Maas

Olá, pessoas!

Finalmente, terminei a resenha desse livro, que tanto me impressionou.

Ficha técnica
Título: Herdeira do Fogo
Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Ano da publicação: 2015



Demorei exatos 18 dias para ler este livro, mas não foi por opção ou por ser uma história arrastada – muito pelo contrário. Na realidade, eu me agoniava por não ter tempo para me imergir na leitura, assim como fiz com Coroa da Meia-Noite, porque Herdeira do Fogo foi, sem dúvidas, o melhor da série até agora.

Aqui, temos uma Celaena quebrada, destruída e completamente desorientada pelos eventos catastróficos do final do livro 02 da saga, e conhecemos novos personagens simplesmente incríveis, que não só somaram à trama todo o peso de complexidade e encanto que faltavam nos livros anteriores, como certamente farão total diferença na continuação de Trono de Vidro.

Sem entrar em spoilers, Celaena é mandada para Wendlyn, um continente distante de Adarlan, onde a magia ainda funciona. Lá, para desvendar os mistérios das chaves de Wyrd (que causaram tumulto no livro desde o livro 01, mas não falarei o porquê – antispoilers! kkk), ela topa desenvolver um lado seu amortecido por traumas de uma infância roubada, a pedido de Maeve (a rainha de onde Celaena está). Rowan, um príncipe-guerreiro feérico milenar, irá ajudá-la a se redescobrir com brutalidade e frieza, enquanto eventos se desenrolam no castelo de vidro, levando à história da assassina na direção que jamais deveria ter deixado de correr.

Agora, vamos às minhas impressões:

As cenas que se desenrolam paralelamente à trama da assassina são épicas, belas e descritas com a maestria de Maas, cada vez mais talentosa a cada livro que se passa, e muitas delas, com certeza, morarão para sempre nas minhas lembranças de leitura.

Rowan é um personagem maravilhoso, assim como Manon, Abraxos (amo!) e Aedion (a quem boto MUITA fé e gostei desde o início do livro). O desenvolvimento dos secundários (Chaol e Dorian) me foi satisfatório, mas nada se compara à evolução que Celaena sofre – de assassina destroçada pelo peso de um passado sombrio, a algo lindo; um fogaréu imenso de poder e ousadia muito além do que eu (e porque não, ela mesma) imaginava ser capaz de se transformar!

Foi lindo vê-la amadurecer e, finalmente, conquistar o meu carisma (risos). Demorei para me afeiçoar à protagonista da saga, e foi definitivamente no ápice deste livro – e que ápice, ce tá maluco! – que Sardothien ganhou meu respeito e coração.

Espero terminar a saga completa até o início do ano que vem (torçam por mim), e indico com fervor àqueles que ainda hesitam em embarcar nesta fantasia incrível!

E quanto a vocês, já leram o livro? O que acharam?

Até a próxima!

quarta-feira, 8 de maio de 2019

Leitura e Subjetividade


Olá, pessoal! Como vocês estão?

Eu estou em choque, se querem saber. Porque só hoje, após receber alguns feedbacks do meu conto "O Rei dos Assassinos", é que vim refletir sobre o quanto de nós mesmos interfere na experiência da leitura.

Mas Gabriela, que papo é esse?!

É simples, gente. Um exercício muito besta pode exemplificar a brisa cosmológica que acabo de redigir acima (risos altos): 

  • Quando você lê a frase “Dimitri era um homem belo, de cabelos escuros, traços firmes e olhar incisivo”, o que vem à sua mente, além da moldura que acaba de ler?

Ainda que o livro esboce o personagem para você, sua cabecinha de leitor sempre trabalhará para completar as lacunas. Para alguns, o conceito de “homem belo” seja um cara com olhos grandes, boca larga, barba bem-feita. Para outros, olhos mais miúdos, repuxados, lábios finos e pele lisa.

Isso tudo porque o seu conceito de “homem belo” foi construído pelas experiências que você passou em TODA a sua vida. Não só com a beleza, mas com o conceito de bom, mau, admirável, insuportável... o que torna a experiência da leitura muito, muito, muito, MUITO louca!

Veja bem, aquele livro que você leu e amou, foi devido à bagagem que trouxe consigo até o momento em que entrou em contato com a obra. 

E não dá raiva quando uma pessoa simplesmente odeia aquela história que você venera? 
Dá, sim! Dá muita (risos nervousers), mas não podemos nos sentir assim.

Cada experiência que temos – tanto como leitores, quanto como simples mortais nesse mundo louco de pedra –, regerá nossas experiências da leitura. E isso é mágico, gente!

Isso torna a leitura uma das experiências mais intensas e íntimas que alguém pode ter.


E foi emocionante concluir isso, na pequenez do meu mundo de escritora. Já que, em O Rei dos Assassinos, eu retrato ninguém mais, ninguém menos, que o antagonista (vulgo “vilão”) da minha trilogia Subversivo. E ver a divisão de águas que a personalidade dele causou nos leitores foi incrível!

Para situá-los aos que não leram, Boris é um assassino nato. Herdeiro de uma facção de assassinos, foi criado para ser o melhor, se não fosse seu maior oponente pelo cargo e irmão gêmeo, Dimitri. Por não ser o filho favorito do líder, sua criação foi muito mais bestial e distante, o que o tornou frio, implacável e impiedoso. 

E enquanto 20% dos leitores (sendo generosa) se solidarizou com os conflitos internos de Boris, o restante simplesmente o julgou intragável. Suas ações, a forma com que Boris lida com as presas e as mata, mexeram com essa parcela de leitores, causando feedbacks inimagináveis para mim.

E muito embora eu tenha redigido o conto para divulgar Subversivo (já que dá para ler sem ter tido contato com o livro original), o resultado de sua publicação foi muito mais gratificante do que eu esperava.

Por isso, caso tenham curiosidade e/ou queiram passar nervoso com Boris e suas loucuras, leiam clicando aqui e me falem de que lado vocês ficaram!

E me contem: já pararam para pensar nisso tudo?

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Resenha: Trono de Vidro - Coroa da Meia Noite | Sarah J. Maas

Olá, pessoas! Como estão?

Com a semana que se inicia, vim trazer a primeira resenha do blog do meu último livro lido do mês de abril, que me foi uma grata surpresa:

Ficha técnica
Título: Coroa da Meia Noite
Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Ano da publicação: 2014



E por quê? Pois o primeiro livro da série Trono de Vidro, para mim, tinha grandes defeitos. Tanto na escrita, quanto na construção dos personagens. A protagonista Celaena era nomeada "a assassina mais perigosa de Adarlan", mas se comportava como uma princesa mimada e o romance não tinha pé nem cabeça (o que vim descobri que não irritou só a mim, mas uma boa parte dos fãs da saga).

Na trama deste segundo volume, após ter se tornado campeã do rei num torneio realizado pela nobreza e tido contato com fiapos de uma magia há anos já banida de seu continente, Celaena agora começa a efetuar o "trabalho sujo" para a qual foi designada, em troca da promessa de ser uma garota livre. Enquanto isso, sua amiga, a princesa Nehemia, se distancia, e um novo amor começa a brotar entre a assassina e Chaol, o capitão da guarda real.

Ok. Até aqui, estava tudo bem. E então, vem o plot twist. Socorro!

Chaol é raptado por prováveis integrantes de um grupo de resistência contra Adarlan, e nos deparamos com uma trama completamente renovada, ágil, cheia de descobertas traiçoeiras e de fatos que nos fazem devorar a outra metade do livro num único dia (true story).

No todo, adorei o crescimento de Celaena, muito mais madura e coerente do que no livro 01; Chaol (ao contrário do que tentaram me convencer) é um querido sem defeitos (HAHAHA), cujas ações são centrais para que o enredo se movimente. A escrita de Maas melhora em incontáveis graus, nos imergindo em cenas complexas, bem construídas e muito críveis (ao contrário do livro 01, na minha humilde opinião). Como escritora, é lindo ver a evolução da autora, que amadureceu tanto quanto sua personagem principal. 

Amei a experiência de persistir na série! Foi a prova de que sim, livros "pilotos" não fazem total jus à uma saga.

E vocês, já leram o livro? Me contem o que acharam!

sábado, 4 de maio de 2019

O Começo

Olá, pessoal!

Há tempos venho me planejando para ter um blog, e finalmente chegou a hora de colocar o plano em prática.

Aqui, postarei não só meus livros, mas também resenhas, tags e algumas outras surpresas que, por ora, deixarei em off (risos malignos).

Ansiosa para começar os trabalhos!

Por enquanto, vocês podem continuar me seguindo no meu Insta. Só clicar aqui.

Até breve!